Covid-19 fez avanços globais de saúde recuarem décadas, diz Fundação Gates

Anadolu Agency- Colaborador/ Getty Images
Anadolu Agency- Colaborador/ Getty Images

Os efeitos da pandemia detiveram e reverteram os avanços globais de saúde, alertou um relatório da Fundação Bill & Melinda Gates

Os efeitos secundários da pandemia de coronavírus detiveram e reverteram os avanços globais de saúde, fazendo-os regredirem 25 anos e expondo milhões de pessoas ao risco de doenças mortais e da pobreza, alertou um relatório da Fundação Bill & Melinda Gates hoje (15).

Por causa da Covid-19, a pobreza extrema aumentou 7%, e a cobertura de vacinas de rotina –uma boa medida indireta para avaliar como os sistemas de saúde estão funcionando– está caindo para níveis vistos pela última vez nos anos 1990, segundo o relatório.

LEIA MAIS: Geração perdida: “Por causa da Covid-19, centenas de milhares de alunos promissores podem nunca começar uma faculdade”, diz Bill Gates

“É um revés enorme”, disse Bill Gates, copresidente da entidade e filantropo e financiador destacado de saúde e desenvolvimento globais, em uma entrevista coletiva a respeito das conclusões do documento.

O relatório, que monitora o progresso dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas (ODS) de reduzir a pobreza e melhorar a saúde, descobriu que no último ano o mundo regrediu em quase todos os indicadores.

Além da queda no índice de imunizações de rotina, que o relatório disse ter “feito o mundo regredir cerca de 25 anos em 25 semanas”, os níveis ascendentes de pobreza e o dano econômico da pandemia estão reforçando as desigualdades.

O relatório revelou que a pandemia tem um impacto desproporcional em mulheres, comunidades de minoria racial e étnica e em pessoas que vivem na pobreza extrema.

“Depois de 20 anos consecutivos de declínio da pobreza extrema, agora vemos uma reversão”, disse Mark Suzman, executivo-chefe da Fundação Gates, em uma entrevista à Reuters. “Vimos quase 40 milhões de pessoas serem arrastadas de volta à pobreza extrema. Isso é bem mais de 1 milhão por semana desde a chegada do vírus”.

O documento citou projeções do Fundo Monetário Internacional (FMI) segundo as quais, apesar dos US$ 18 trilhões já gastos para se tentar estimular economias de todo o mundo, a economia global perderá US$ 12 trilhões ou mais até o final de 2021 –a maior perda de PIB mundial desde o final da Segunda Guerra Mundial.

LEIA MAIS: Fundação de Bill Gates doa US$ 150 mi para distribuição da vacina de Covid-19 em países em desenvolvimento

Embora o cenário seja “desolador” no momento, Gates disse estar confiante de que o mundo emergirá da pandemia e retomará o progresso rumo às metas de melhoria da saúde global.

“Que nos tome dois anos, ou mesmo três, realmente acreditamos que superaremos isto e voltaremos aos trilhos”, disse. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).